Logística e Transporte

Obrigatório ao transportador, seguro garante caixa do embarcador

Documento que caracteriza a operação de transporte deverá ser emitido antes do início da viagem contendo a identificação da seguradora, o número da apólice do seguro e de sua averbação, quando for o caso.
Obrigatório ao transportador, seguro garante caixa do embarcador

A Resolução Nº 4.799, de 27 de julho de 2015, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do Ministério dos Transportes, regulamenta procedimentos para inscrição e manutenção no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC), dentre outros. O Capítulo IV, que trata do Transporte Rodoviário Remunerado de Cargas, item 23, dispõe que o documento que caracteriza a operação de transporte deverá ser emitido antes do início da viagem, contendo algumas informações, dentre elas a “identificação da seguradora e o número da apólice do seguro e de sua averbação, quando for o caso”.

O que isso significa? Que o transportador, tendo a licença de operação da ANTT, é obrigado a contratar o seguro de RCT-RC (Responsabilidade Civil do Transportador de Carga), por transportar mercadoria de terceiros. Obrigações à parte, é dessa forma que ele opera com segurança. Se algo acontecer à mercadoria em circulação, ela estará devidamente amparada, resguardando as responsabilidades e interesses das partes envolvidas. “Há a necessidade apenas de, antes de se dar início ao risco, haver a comunicação sobre o seguro à seguradora”, explica Martin Molla, gerente de Seguros para Transportes da AIG.

Mas e como fica o caso do embarcador, aquele que fabrica produtos e, por conta própria, entrega sua carga? “A recomendação é exatamente a mesma, a carga deve ser transportada devidamente protegida por uma cobertura de Transportes Nacionais. Imagine circular com equipamentos de informática, maquinários pesados, peças da indústria automobilística ou matéria-prima da indústria química, por exemplo, sem proteção. O risco é enorme”, avalia Molla.

Além da avaria que pode ocorrer em qualquer acidente e, muitas vezes, perda total do produto, a empresa pode ter um impacto grande em seu caixa, principalmente se lidar com commodities, com oscilações cambiais. “Muitos ainda veem o seguro de transporte como uma despesa, quando, na verdade, deveria ser usado como uma definição estratégica do negócio para mitigar exposições e variações de estoque”, observa o gerente.

A AIG oferece várias soluções para o embarcador, garantindo todos os riscos de perdas e danos às cargas transportadas, além de coberturas amplas e adequadas em âmbito nacional e internacional. Uma delas é a cobertura específica para danos causados pela mercadoria a terceiros. Caso seja um transportador rodoviário, aquaviário, aéreo ou ferroviário, oferecemos proteção para acidentes, avarias e roubos. Consulte seu corretor!