Você sabe quais são os riscos para corretoras de criptomoedas?

11 Abr 2019 | 2 min leitura

Quase uma década depois do início de seu uso, as moedas digitais experimentaram uma ascensão meteórica em menos de dois anos, com queda sequente nas negociações, até o efetivo amadurecimento do mercado. Com saldo positivo no sobe e desce dessa balança, hoje pode-se dizer que as chamadas criptomoedas vieram mesmo para ficar. Prova disso é que, desde dezembro do ano passado, o número de investidores de criptomoedas no Brasil cresceu 40%. Segundo a revista Exame, nas três maiores corretoras de moeda digital do País, responsáveis por cerca de 95% das transações, havia 1,2 milhão de cadastros em dezembro de 2018. Agora, são 1,7 milhão, o que representa mais que o dobro do número de investidores pessoas físicas da Bolsa de Valores brasileira. E a tendência é que esse tipo de transação vai se tornar ainda mais relevante à medida que a legislação permitir.

Assim como advogados estão sujeitos a perderem prazos processuais que levam a multas contratuais, e corretores de imóveis a gerarem prejuízos em uma transação pela má precificação de um imóvel, corretores de criptomoedas também correm riscos, por serem os responsáveis pela carteira de investimento de seus clientes e ainda estarem sujeitos a perigos cibernéticos. A maior ameaça está na ação dos hackers, capazes de invadir sistemas para roubar dados pessoais e bancários dos clientes e levantar informações sobre investimentos e acesso a dados da própria corretora.

No caso de prejuízo aos clientes, a corretora responderá pelas perdas ocasionadas. Por isso, a contratação de seguros como os de responsabilidade civil e riscos cibernéticos é essencial para a proteção do corretor e da corretora. “O seguro de responsabilidade civil profissional traz segurança para os prejuízos causados por uma falha profissional que possa ter causado dano a terceiros, inclusive com a cobertura de multas, custos de defesa, danos morais e outras situações que podem comprometer o patrimônio financeiro, reputação e continuidade do seu negócio”, alerta Flávio Sá, gerente de Linhas Financeiras da AIG.

“A inovação e o olhar antecipado para novos riscos sempre estiveram no DNA da AIG. Somos referência em seguros para profissionais, a fim de que estes possam exercer sua função com tranquilidade e segurança. Além disso, fomos pioneiros no lançamento do seguro de reponsabilidade cibernética, o CyberEdge®. Hoje, apesar de a tecnologia ajudar a suportar transações mais seguras na rede, ainda há brechas para falhas por conta do curto tempo de testes e escalabilidade, o que pode acabar expondo o patrimônio e as informações dos usuários,” completa.

Com 100 anos de experiência em mais de 80 países e presente no Brasil há 70 anos, A AIG tem ajudado pessoas e empresas a se desenvolverem e aproveitarem oportunidades, identificando e gerenciando riscos para que possam tomar decisões mais assertivas e seguras. Invista na reputação e na segurança do seu negócio. Fale com o seu corretor de seguros sobre as soluções da AIG. 

Comentários

I - Os seus comentários estão sujeitos à moderação do nosso time editorial, que se reserva no direito de deletar comentários ofensivos, descriminatórios e não pertinentes à temática do canal de comunicação.
II - Comentários relacionados à cotações, apólices e serviços prestados pela AIG serão direcionados para a área de Atendimento ao Usuário que tomará as tratativas de cada caso.

 Comentar

  • CLAUDEMIR REICHEMBACK

    Postado há 3 mêses

    muito bom o assunto que é a boal da vez, criptomoedas.

Materiais Relacionados




Tags

Últimas postagens